Vamos falar sobre empresas inovadoras. Em tempos de escassez (clique aqui e assista ao vídeo em que eu debato crise versus escassez), nada é mais importante do que manter-se à frente dos próximos passos do mercado.

Em 2011, realizei uma pesquisa científica sobre inovação, com a ótica das Relações Públicas.

E uma das boas bibliografias que usei foi o livro Gestão da Inovação, de Tidd, Bessant e Pavitt. Eles escreveram um capítulo somente para tratar das dez características de organizações inovadoras. Recuperei minhas anotações, e escrevi um breve resumo de cada um dos dez itens.

 

Quais dessas 10 características sua empresa possui?

 

10 características de organizações inovadoras

1. Visão compartilhada, liderança e desejo de inovar:

Geralmente a inovação tem a ver com mudança e aprendizagem e, em geral, rompe padrões pré-estabelecidos, é cara e envolve riscos. Sem o apoio e envolvimento do alto escalão da organização, as ideias provavelmente não aparecem e, se surgem, acabam não sendo testadas, implementadas e avaliadas.

2. Estrutura organizacional adequada:

Empresas com modelos flexíveis e hierarquias horizontais têm mostrado que estão mais propensas a inovar, já que o processo de tomada de decisões tende a ser menos engessado e acaba por fomentar interação e criação de vínculos maiores entre as pessoas.

3. Indivíduos-chave:

São os líderes ou campeões de projetos de inovação, que assumem a figura de facilitadores e interlocutores do processo de inovação e têm a responsabilidade de defender a causa e levar entusiasmo por meio de todo sistema organizacional.

4. Treinamento e desenvolvimento contínuo:

O desenvolvimento permanente de conhecimentos e habilidades da equipe é fundamental para permitir que essa esteja preparada para agir no momento em que surge uma oportunidade de inovar.

5. Inovação com alto envolvimento:

Enquanto a inovação ficar limitada a um departamento ou às especialistas em Pesquisa & Desenvolvimento, a capacidade criativa também fica limitada. Embora cada indivíduo seja capaz de desenvolver e pensar em inovações relacionadas aos processos em que está envolvido; a soma desses esforços pode trazer impactos profundos.

6. Trabalho de equipe eficaz:

Experiências indicam que grupos têm mais a oferecer do que indivíduos em termos de fluência de geração de ideias e de flexibilidade de desenvolvimento de soluções. Além disso, a combinação de pessoas com conhecimentos multifuncionais tem contribuído bastante para melhorias de maior qualidade e impacto.

7. Atmosfera criativa:

Estruturas organizacionais são os artefatos visíveis do que pode ser denominado de cultura inovadora, aquela em que a inovação pode prosperar. Sua construção envolve políticas de comunicação e procedimentos, sistemas de recompensa e reconhecimento, políticas de treinamento, sistemas contábeis e de mensuração e desdobramento de estratégias.

8. Foco externo:

A inovação tem se tornado um processo aberto, envolvendo redes de trabalho externas, que ao agir colaborativamente produzem resultados mais ricos do que somente dentro da organização. O foco externo vai além da compreensão das necessidades e desejos dos clientes, e age também na construção de relacionamentos com fornecedores, colaboradores, competidores, reguladores e muitos outros personagens.

9. Comunicação extensiva:

Os mecanismos de desenvolvimento para a solução de conflitos e para a melhoria na clareza e frequência da comunicação por meio de diversos canais são fundamentais para o processo de inovação, especialmente porque a resolução de problemas depende da combinação de diferentes conhecimentos que podem estar amplamente distribuídos pela organização.

10. Aprendizagem organizacional:

A inovação é um ciclo de aprendizagem, que envolve um processo de experimentação, prática, reflexão e consolidação. A gestão desse processo cria condições de aprendizagem contínua, favorecendo o sucesso das inovações futuras.

Qual a realidade da sua empresa? Acha que tem todas ou algumas dessas características presentes na sua empresa?

Comente. Queremos saber sua história!

 


Christian H. Mendes é Reputation Advisor na Oversize Reputation (https://oversize.cc/). É graduado em Comunicação Social com Habilitação em Relações Públicas pela Unisinos (RS) e trabalha na última década como pesquisador e mentor da área de Reputação Pessoal. Já formou mais de 570 Líderes de Pensamento na sua metodologia própria, além de ter levado um cliente para a lista de 30 Mais Influentes do Brasil com Menos de 30 Anos da Revista Forbes Brasil.

Deixar um Comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *.